Nos tempos antigos, ser capaz de reconhecer e de corrigir os seus erros era uma virtude que uma pessoa nobre tinha de possuir. Aqueles que possuíam a coragem de enfrentar as suas imperfeições e a determinação de melhorá-las eram muito admiradas. Como diz o ditado: “Quem não comete erros? Parabéns à aqueles que são capazes de reconhecer as suas falhas e se modificar”.

O que se segue são vários relatos de como figuras históricas viraram uma nova página e se tornaram grandes empreendedoras.

1. Huangfu Mi: um estudioso conhecido

Huangfu Mi (215-282) foi um erudito antigo conhecido por suas realizações e influência na História literária e na Medicina. Como escritor prolífico, os seus trabalhos abrangiam uma ampla variedade de tópicos, incluindo História, Ética, Literatura e Medicina. Em particular, no seu livro intitulado “Ensinamentos sobre Acupuntura”, sua primeira monografia de pesquisa, ele discute as teorias e as práticas da Acupuntura.

– Um adolescente que deambulava por aí

A vida de Huangfu Mi durou três dinastias. Nascido na Dinastia Han de Leste (25-220 d.C.), ele cresceu no Período dos Três Reinos (220-265 d.C.) e morreu na Dinastia Jin Ocidental (265-317 d.C).

A sua mãe faleceu quando era muito pequeno, então os seus tios adotaram-no. Quando tinha 15 anos, os seus pais adotivos mudaram-se do condado de Lingtai, na província de Gansu, para o condado de Yingchi, na província de Henan.

Durante a sua adolescência, Huangfu Mi passou o seu tempo vagueando com os seus amigos da vizinhança. No momento em que completou 20 anos, ainda era analfabeto em História, Filosofia, Literatura, Ética e Religião, todos os assuntos que os jovens decentes da sua idade teriam dominado até então.

Um dia, Huangfu Mi encontrou alguns melões doces para oferecer à sua mãe. Quando os ofereceu, sua mãe gritou: “Já tens 20 anos, mas ainda és muito mal educado. Dói-me ver que perdeste muito do teu tempo precioso. Se realmente queres ser um bom filho, deves estudar muito e se tornar bem versado em História, Literatura e outros temas que os jovens da tua idade devem conhecer”. Nos tempos antigos, a mãe de Mencius mudou de casa três vezes para encontrar boas companhias para ele. “Será que eu escolhi uma boa localização com bons vizinhos para ter uma boa influência sobre ti? Por que ainda não tens interesse em ler livros e cultivar teus valores morais?”.

Huangfu Mi foi movido às lágrimas e prometeu à sua mãe que começaria de novo e nunca mais perderia tempo. Depois disso, ele lia livros toda a hora, não parando nem por um só dia. Enquanto trabalhava nos campos, lia sempre que havia uma pausa. Quanto mais lia, mais forte era sua força de vontade e mais calmo se tornava.

– Um escritor prolífico que se esforça tem uma influência positiva na sociedade

Quando Huangfu Mi completou 26 anos, decidiu seguir carreira de escritor, porque queria escrever livros que tivessem uma boa influência na sociedade.

Devido a seus amplos interesses, os trabalhos de Huangfu Mi abrangiam muitos assuntos diferentes.

Uma categoria centrada nos seus livros era a hierarquia social. Eles foram considerados de grande valor educacional.

O seu segundo tema foi a História. Quando Huangfu Mi notou que havia pouca literatura sobre os eventos anteriores à Dinastia Han, começou a compilar O século imperial, um livro massivo que cobre eventos históricos que abrangem a mais antiga “Era dos Três Imperadores” até à sua atual dinastia. Além disso, escreveu outros livros sobre diferentes períodos históricos.

Por fim, escreveu livros que declamavam os louvores dos nobres povos antigos que se mantinham firmes nos seus sistemas e valores e nunca se curvavam ao poder ou perseguiam fama e riqueza. Escreveu A Biografia de 91 eremitasA biografia de um recluso e a Biografia de mulheres que permaneceram leais aos seus maridos, os quais são alguns exemplos.

Desde que Huangfu Mi viveu numa época em que os poderes estavam mudando e uma nova dinastia estava tomando forma, viu muitas pessoas seduzidas pelo poder, fama e riqueza. Detestava pessoas que provocavam reviravoltas e comprometiam os seus valores morais para agradarem os que estavam no poder. Por outro lado, tinha grande admiração por aqueles que não eram movidos por riquezas, pobreza, destituição ou poder. Escreveu livros sobre esse assunto para encorajar os seus compatriotas a manterem os seus valores morais e acumular mais virtudes.

O quarto assunto sobre o qual ele escreveu foi a medicina. Depois de adoecer, Huangfu Mi começou a ver a importância da Medicina. Nas suas palavras, “Não importa quão leais somos ao Imperador ou quão filiais somos para os nossos pais, não temos utilidade quando adoecemos. Portanto, é importante que saibamos sobre Medicina”.

Sendo assim, compilou um livro chamado Ensinando Acupuntura, no qual classificou e enumerou um total de 349 pontos de acupuntura e descreveu detalhadamente suas localizações e suas conexões com os canais de energia no interior do corpo. Também relatou como a música e o estado mental das pessoas afetam as funções dos órgãos internos. Este livro foi considerado uma leitura obrigatória para estudantes de Medicina. Por isso, Huangfu Mi foi chamado de “o fundador da Acupuntura“.

No geral, Huangfu Mi enfatizou que os escritores se certifiquem de suas obras terem um impacto positivo nas pessoas e na sociedade. Ele era contra o exagero e as palavras extravagantes e vazias.

– Um homem nobre permaneceu verdadeiro a si mesmo

Embora tenha tornado-se conhecido, Huangfu Mi permaneceu discreto e não se interessava pela fama. Quando instado a expandir seu círculo de amigos e a melhorar a sua reputação, exprimiu o seu desejo de seguir uma vida simples.

De fato, recusou muitos convites para servir na corte real. Quando o Imperador Wudi procurou conceder-lhe o título de “Acadêmico Real”, Huangfu Mi recusou a honra e pediu para ser dispensado. Na carta que escreveu ao Imperador, disse: “Ouvi dizer que um Imperador sábio será cercado por funcionários que são corajosos o bastante para dizer a verdade e que uma política indulgente convidará as pessoas a expressarem as suas preocupações. Com um soberano tão sábio quanto sua majestade, peço permissão para me concentrar a escrever e a praticar Medicina”. Wudi aceitou o seu desejo e deu-lhe um carrinho cheio de livros para ler.

Sempre lendo e escrevendo, Huangfu Mi era muito diligente aos olhos dos outros. Quando lhe disseram que muito trabalho duro poderia encurtar a sua vida, respondeu: “Se eu obtiver o Dao pela manhã, não vou me arrepender se eu morrer à noite. A expectativa de vida é pré-determinada pelo Céu”.

Também escreveu que apenas ganhando fama e interesse próprio pode-se prolongar a vida e apenas se afastando da riqueza e do poder é possível obter o verdadeiro Dao (a verdade do universo). Escreveu um artigo para exprimir o seu desejo de viver uma vida simples, sem o peso dos interesses materiais e da fama. Em vez disso, reverenciava a harmonia entre o Céu e a Terra. (Livro da Dinastia Jin)

(Continua)

Fonte: Minghui.org

Categorias: Cultura

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds