A revista científica Nature apresentou um estudo no qual 4 novas espécies de vespas fósseis foram encontradas dentro de pupas do período Paleogeno, isto é, entre 65 milhões e 23 milhões de anos atrás, e que elas seriam sua comida viva à medida que cresciam.

Vespa encontrada dentro de uma pupa de mosca fossilizada.

No processo reprodutivo das vespas “Xenomorphia resurrecta” e outras, foi contemplado colocar seus ovos dentro das pupas das moscas e enquanto suas larvas nasciam, elas começavam a se alimentar com o corpo das moscas vivas, de dentro para fora.

Outras espécies que também se comportaram dessa maneira foram a Xenomorphia handschini, a Coptera anka e a Palaeortona quercyensis, por seus nomes científicos.

Reconstrução de “Xenomorphia resurrecta”.

Cerca de 50% de todas as espécies animais são consideradas parasitas“, disseram os pesquisadores.

A equipe foi liderada por Thomas van de Kamp, que disse que “a evidência de parasitismo em fósseis é geralmente rara, uma vez que requer informações preservadas da interação entre ambos“.

Por outro lado, o único antecedente conhecido de uma vespa parasitóide, encontrado no hospedeiro fossilizado, foi encontrado em Quercy, na França, e estima-se que tenha entre 34 e 40 milhões de anos.

As observações para esta investigação foram possíveis por meio de scanners de raios X, utilizando modelagem 3-D para a reconstrução dos dados coletados.

Da mesma forma, os fósseis estudados foram fornecidos pelas coleções do Museu de História Natural da Basiléia (NMB) e do Museu Sueco de História Natural (NRM).

Fonte: BLes

Categorias: Ciência

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds