Redação Bles – Uma menina de seis anos foi estuprada por seus dois tios em Puerto Quito, no Equador. O fato foi descoberto depois que a criança foi levada para um hospital próximo com febre e calafrios, onde os médicos determinaram o estupro e a disseminação de uma doença sexualmente transmissível (DST), de acordo com as autoridades locais.

De acordo com as acusações, dois tios da menor foram identificados e acusados do crime. No entanto, apenas um deles, o tio Orlando Stalyn A. R. (44), foi condenado a 22 anos de prisão como autor do crime de estupro, enquanto o segundo, Wilson C, é atualmente um fugitivo.

Depois de levantar a queixa perante os tribunais, as autoridades descobriram que as violações contra a criança começaram em março de 2018 na casa de sua avó materna e foram repetidas várias vezes.

[Um crocodilo devora um menino de 10 anos na frente de seus irmãos nas Filipinas]

De acordo com o testemunho obtido pelo psicólogo clínico, a menor afirmou que Orlando Stalyn lhe deu um dólar, cinquenta centavos e biscoitos depois de violá-la.

Somente em agosto do mesmo ano, a menina teve febre e calafrios, então ela foi transferida para um check-up em um centro médico local.

Na instituição, os médicos puderam verificar a agressão sexual, ao mesmo tempo em que a diagnosticavam com uma doença sexualmente transmissível, alertaram as autoridades.

O Ministério Público sustentou que as declarações da vítima eram fundamentais para o Tribunal de Garantias Criminais, com sede em Iñaquito, para validar a responsabilidade dos agressores.

Categorias: Mundo

Vídeo em destaque

Ad will display in 09 seconds